Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A greve e a criminalização do movimento social por quem não paga o trabalhador e não cumpre com a merenda escolar

Olá, boa tarde caríssim@s!

Tenho respeito por toda em qualquer pessoa, de forma que venho por meio deste, respeitosamente manifestar minha indignação e repudio a pessoa que escreveu a mensagem mentirosa que esta sendo propagandeada nas redes sociais ao meu respeito e a outros colegas de profissão... De alguma forma fico triste em saber que ainda existem profissionais da educação que se submetem a este tipo imoralidade - que se esconde na sombra do medo, da covardia, na bainha de governo a espera da migalha, daquela sobra que vai para os porcos... E, talvez por não reconhecer seu valor e sua própria capacidade de avaliar a sua realidade e se propõe a esta subserviência deplorável de se impor contra seu próprio direito e de seus filhos, digo isso, porque não teve a mínima decência de assumir a autoria. Acha que vive no anonimato. Só acha, até porque já sabemos quem é você. Pessoas que estão ao seu redor, apesar de bajulá-la, não concordam com você!

A propósito sou e seremos a favor da greve, não porque eu quero. Mas porque a categoria viu que ela é necessária, em função da intransigência politica de não dialogar, de não cumprir acordos e, sobretudo da falta de planejamento que levou a gravidade de inúmeros problemas. Falar em falta de planejamento é importante falar em gasto público é falar - que o dinheiro foi desviado e isso está visivelmente claro, como podemos comprovar em nossos locais de trabalho (falta de tudo – merenda escolar, material pedagógico, de limpeza e higiene, entre outros.) e, falta salário na conta dos trabalhadores da educação, cabe ressaltar que essa situação não é somente na área da educação, são em todas, praticamente! Isso tudo se configura a falta de gestão. 

Estou me manifestando aqui, não em minha defesa, pois tenho absoluta certeza que minha história foi e esta sendo escrita com trabalho e luta fundamentada no princípio ético, humano moral e cristão, recebidos no seio de minha família e solidificadas nas instituições de ensino, movimentos religioso, social e sindical no qual passei e, na convivência diária de amigos e profissionais que tanto preso. Sou 100% humana e profissional, mas não sou e não estou pronta, pois me (RE) construo diariamente... minhas ações, atitudes e discursos falam por mim. Cujo se resume no respeito e na sensibilidade ao outro, no bem comum. 

Estou me manifestando a pedido de muitos amigos que também indignados me pediram – “dê resposta a altura”, além disso estou aqui para defender o Sindicato dos trabalhadores em Educação do Pará-Subsede/Portel (Sintepp). Sindicato este, que por meio de seus dirigentes, filiados e simpatizantes vem rescrevendo uma nova história na educação de Portel, porque luta incansavelmente na defesa da educação de acesso para todos e de fato de qualidade social, e no respeito e valorização dos trabalhadores da educação. No qual estive em dois mandatos consecutivos, como Coordenadora geral; estou hoje no Conselho Municipal de educação, como representante dos professores, reeleita recentemente; presidenta atualmente do Conselho Municipal da condição feminina (chamado conselho das mulheres); servidora pública efetiva, lotada na EMEF Marcionílio Vieira, na qual me orgulho de esta a mais de seis anos sempre primando por aquilo que é humanamente justo e igualmente social, não do ponto de vista unilateral, mas plural. Sempre na luta, na defesa dos meus direitos e da coletividade, pois acredito que o cidadão/cidadã seja ele/ela profissional ou não, que não o faz é contradizer sua própria natureza humana, já que somos um ser politico. 

Como sabemos caluniar e difamar é crime, peço e desafio você a sustenta-las fora do anonimato... Não é justo que queira que assumamos a culpa de um governo da sustentabilidade do desrespeito, do centralismo e autoritarismo retrogrado, da hipocrisia, da exploração, da violação de direito, da humilhação, etc., reflexo da gestão amadorista da ganancia insaciável do poder financeiro e politico! 

Finalizo esse desabafo, com o trecho da letra da musica “Sonhar”, de Mc Gui “Sonhar, nunca desistir; Ter fé, pois fácil não é e nem vai ser; Tentar até se esgotar suas forças; Se hoje eu tenho quero dividir; Ostentar pra esperança levar e o mundo sorrir...”

Por Lucidalva Maciel Xavier
Postar um comentário