Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

sábado, 21 de novembro de 2015

Caso Enos Perdigão: juiz julga por agressão



Após o escândalo que sacudiu Portel envolvendo o vereador Enos Perdigão, da base do governo de Paulo Ferreira, o juiz que atua na comarca do município entendeu que a fiança dada pela autoridade policial foi insuficiente em razão do cargo de vereador e da sua capacidade econômica aliada à forma como o delito foi praticado, determinando que Enos Perdigão pague 30 salários mínimos. Caso o vereador Enos Perdigão não pague a fiança arbitrada pelo douto juiz, Enos poderá ter sua prisão decretada, sendo dado o prazo de 5 dias para recolher a soma de30 vezes o valor de 788 reais, ou seja, R$ 23.640,00 (vinte e três mil, seiscentos e quarenta reais).

O juiz também demandou do delegado de polícia a conclusão do inquérito no sentido de evitar prisão ilegal dos envolvidos. Além disso, o juiz requisitou a mídia gravada pela repórter Alba Lobato. Alba teria sido ameaçada pelos jovens que andam com Enos no momento da entrevista com a testemunha que presenciou a derrubada da cerca de uma casa no bairro da Portelinha. O magistrado foi além e mandou intimar o Enos Perdigão para que entregue a carteira de habilitação, para aclarar a dúvida sobre quem de fato dirigia o veículo no momento da batida na cerca de uma senhora da rua Pacajá, que foi o início de toda a confusão.

O juiz quer saber quem eram os outros elementos que participaram da agressão ao dono do mercantil, vulgo Chibé, que testemunhou a batida da cerca e acabou apanhando juntamente com seu filho, adolescente protegido pelo Código da Criança e do Adolescente. Mandou também que o delegado ouça novamente o flagranteado JACKSON NERIS LOPES para apurar quem eram os outros que participaram da agressão às vítimas.

Agora o carro que foi usado durante o ato de dano ao patrimônio alheio deverá ser identificado. Durante entrevista a uma emissora de TV local, Enos negou estar dirigindo o veículo, o que é contestado pela vítima. Segundo Chibé, Enos saiu do carro após a batida, verificando possíveis danos à lataria do veículo,  juntamente com outros companheiros de farra.

Postar um comentário