Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

sábado, 23 de janeiro de 2016

Pagamento enfim saiu: seria o fim de uma novela e início de outra?

Já está disponível (agora, finalmente é verdade) os proventos dos professores referente ao mês de dezembro do ano passado. Parece até uma praga, pois foi de forma tumultuada que começou o atual governo, quando foi necessária a realização da segunda greve de educadores do município de Portel.

No fim do mandato de Pedro Barbosa houve um atraso no pagamento do abono natalino, que alguns dizem que foi em decorrência de investimentos na campanha do atual prefeito. Agora, no final do seu mandato, Paulo Ferreira (PMDB) e Luciano Fonseca (PT), acabam como se fosse um agouro, provocando novamente uma onda de protestos encabeçados pelos homens mais corajosos do município, abafando os covardes que não tem o mínimo de decência em agir em defesa dos direitos dos trabalhadores e da combalida economia local.

E dizem, que, a exemplo do que faz a Globo de Televisão, uma novela encerra para começar outra. Pois do jeito que as coisas estão se encaminhando, é possível que seja forçoso mais movimentos nas ruas e redes sociais contra a falta de cumprimento de determinações legais, especialmente as federais. A liberação dos salários aconteceu hoje às seis horas, justamente a quase duas semanas para o próximo pagamento, desta feita o de janeiro de 2015.

Entremeio a indignação, há aqueles que, no afã de defender a atual administração, atacam o SINTEPP e até os professores concursados, visto que a política do prefeito e os ditames das leis dêem prevalência àqueles que entraram no serviço público por meio de concurso público, colocando, por vezes, em xeque a própria responsabilidade, o compromisso e a qualificação de tais servidores honestos que possuem família e deveres (muitos!) a serem cumpridos. Não podem, portanto, ser achincalhados pelo fato de exigirem o que é, no mínimo, garantido na Constituição deste País.
 
Postar um comentário