Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

sábado, 17 de dezembro de 2016

Entenda o que é a operação Timóteo que levou à prisão do filho do governador Simão Jatene

Mandado de prisão do filho de Jatene
A operação Timóteo teve início em 2015, momento em que a Controladoria Geral da União enviou à Polícia Federal uma sindicância que apontava incompatibilidade na evolução patrimonial de um dos diretores do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral). Somente esta autoridade teria recebido R$ 7 milhões.

A operação foi batizada assim devido à passagem bíblica do livro de Timóteo, que diz que "os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição".

As ações foram desencadeadas em 11 estados da Federação, a saber: 
PA - 21 buscas, 8 prisões temporárias e 11 conduções coercitivas. Em Belém, apenas um mandado de prisão temporária foi cumprido e somente 13 buscas e apreensões. Já em Parauapebas, 3 prisões temporárias foram cumpridas, além das 6 buscas e apreensão.Em Canaã dos Carajás, 1 mandado de busca e apreensão foi cumprido. Oriximiná também teve busca e apreensão.

  • BA - 2 buscas
  • DF - 7 buscas, 2 prisões preventivas e 4 conduções coercitivas;
  • GO - 1 busca, 1 prisão temporária e 2 conduções coercitivas.
  • MT - 1 busca;
  • MG - 5 buscas;
  • PR - 1 busca e 2 conduções coercitivas;
  • RJ - 1 condução coercitiva;
  • RS - 1 intimação de comparecimento;
  • SC - 10 buscas, 4 prisões preventivas e 8 conduções coercitivas;
  • SE - 2 buscas e 1  condução coercitiva;
  • TO - 1 busca.

Segundo dados da PF, a organização criminosa se dividia em 4 grupos:

  1. Núcleo captador - gerenciado por um  diretor do DNPM e sua esposa. O alvo era a captação de prefeitos interessados em entrar no esquema.
  2. Núcleo operacional - Composto por escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria em nome da esposa do diretor do DNPM, que repassava os valores a agentes públicos.
  3. Núcleo político - Participavam agentes políticos e servidores públicos encarregados de contratar escritórios de advocacia.
  4. Núcleo colaborador - Auxiliavam na ocultação e dissimulação do dinheiro.

.


Postar um comentário