Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

domingo, 24 de abril de 2016

Portel: posto de gasolina faz mais vítima, uma criança em estado grave

Um posto de gasolina que fornece combustível para ônibus escolares e barcos de transporte de alunos do setor rural distribui óleo diesel misturado com gasolina.

Dizem que o posto pertence ao prefeito, Paulo Ferreira, mas o certo mesmo é que, nas palavras do ex-prefeito Pedro Barbosa, em reunião ocorrida ontem no salão de recepções de uma pousada junto à praia do Arucará, o combustível destruiu todas as máquinas da prefeitura, exceto um trator que serve para transporte de lixo doméstico na cidade. Segundo Barbosa, as embarcações da prefeitura foram avariadas, restando apenas o barco Madona.

O prejuízo também afetou as embarcações dos ribeirinhos que as alugam para a prefeitura. Como algumas máquinas pararam depois de utilizar o produto adulterado, a maioria dos barqueiros evitou usar o óleo diesel, ao que alguns apelidam de "colheita maldita". Escolas que recebem o óleo para rodar conjugados usados para abastecimento de caixa d'água também recusaram. Alguns diretores ainda andam com esse combustível dentro de suas embarcações, sob a alegação de que temem prejuízos maiores, já que os conjugados pertencem às comunidades ribeirinhas.

Mas o prejuízo maior são os riscos à saúde das pessoas. Uma criança teve o corpo queimado após a explosão de um tanque que só explodiu porque estava misturado com gasolina. Segundo informações recebidas pelo blog na noite passada, a criança passa mal em UTI. Diante do fato, autoridades judiciárias ficam caladas e nada fazem. 

VEJA AQUI CASO DE BARQUEIRO ESCOLAR QUE TEVE 70% DO CORPO QUEIMADO POR CONTA DE COMBUSTÍVEL ADULTERADO

Apesar da falta de sensibilidade dos órgãos que deveriam fiscalizar esse posto e tomar medidas cabíveis, o ex-vice prefeito de Portel, Carlos Moura, fez registros na delegacia e encaminhou denúncias ao Ministério Público.
Postar um comentário