Nossa luta pela transparência continua. Aqui você sabe quanto foi repasado à conta do FUNDEB

DO JUIZ AO RÉU, TODO MUNDO LÊ O BLOG EDUCADORES DE PORTEL

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Professor Fábio Moura comete suicídio


Após uma morte trágica por meio de suicídio, Portel se vê diante de outra fatalidade: o professor Fábio Moura tira a própria vida na tarde de hoje, num mistério que deixa as pessoas a pensarem sobre o que leva uma pessoa a se matar.

Nesta semana, um comerciante subiu numa das torres da subestação do Linhão do Marajó e se atirou, morrendo instantaneamente, tendo seu crânio partido com o impacto da queda. Rumores apontaram motivos passionais. Segundo informações de um policial, a amante, de apenas 16 anos, disse que não o queria mais, o que, supostamente levou o homem a cometer a morte.

Desta vez, quando a comunidade de professores vence uma batalha nas reivindicações trabalhistas, colocando o prefeito na parede, a sociedade se choca ao saber, nesta tarde, do suicídio do jovem professor de biologia, Fábio Moura. Ninguém sabe, mesmo entre mil especulações, os reais motivos que levaram um jovem bem sucedido a por fim na própria vida. Irmão do ex-vice prefeito Carlos Moura e também da vereadora Simone Moura, Fábio levava uma vida simples e sempre disse que não tinha vocação política e até odiava qualquer atividade, especialmente a politiqueira. Simples e dotado de amizades com gente humilde, Fábio Moura é lembrado desde a tarde até a noite nas redes sociais. Seu corpo permanece em velório no Salão Paroquial, no centro da cidade.

Fábio foi diretor do polo Ezídio Maciel e, quando deixou o cargo, foi estudar biologia pela faculdade UVA (Uiversidade Vale do Acaraú). Em face do ocorrido, a SEMED/Portel oficializou luto nos dias 11 e 12 de abril pelo falecimento do profº Fábio Moura da Silva.

Relatos


"Lembro-me quando eu o Fábio e mais um grande número de professores trabalhamos na educação do campo do município de Melgaço (até o ano de 2003). Trabalhávamos lá porque fomos perseguidos politicamente pelo ex-prefeito de Portel naquela época, por isso fomos acolhidos em melgaço pelo secretário de educação Agenor Sarraf. Obtivemos grandes experências profissionais e fizemos amizades naquela localidade vizinha. Então, ficam registradas as boas recordações desse jovem."
Profº Rozenildo de Deus Machado

Cena triste... Impotência total... Nenhum mero mortal pode fazer nada pra diminuir a dor daquela família. Não há palavra que retire a dor dessa perda tão cruel do coração de cada irmão, pai, mãe, filhos, sobrinhos. Só posso recorrer à misericórdia de Deus e pedir-lhe pra curar essa dor, pois só Ele tem essa capacidade. Sentiremos saudades, amigo.. :(
Profª Jacira Baia

Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio. Questionamos o porque de nossa existência e nada parece fazer sentido. Concentramos nossa atenção no lado mais cruel da vida, aquele que é implacável e a todos afeta indistintamente: as perdas de quem mais gostamos ou admiramos. SAUDADES AMIGO FÁBIO..............E TENHO DITO.
Profº Fernando Coelho

Amigos, minha passagem hoje por aqui é somente para expressar minha tristeza e confusão emocional com a "Partida prematura" de meu querido amigo Prof. Fábio Moura, um jovem que eu vi ainda menino sonhando em viver, estudar, lutar, construir sonhos, ser feliz. Nossos últimos encontros foram tão intensos como foi a vida de Fábio: inteligente, distraído, estudioso, risonho, e sempre carinhoso; do menino curioso a um Biólogo preocupado com as questões sociais e professor dedicado.
Fábio, deixarás saudades eternas a seus familiares e amigos, e até aqueles que de alguma maneira te julgaram, e às vezes até caluniaram, condenaram e criticaram, hoje sentirão também a tua partida, principalmente da maneira como foi, o que me deixou confusa, triste, revoltada, e magoada. Como pode jovens brilhantes como você nos deixar assim?... O que podemos fazer para evitar outras perdas como a sua?.... Que Deus nos ilumine a entender e ajudar a mudar essa realidade.
Lembrarei de você com o carinho que sempre tivemos um pelo outro, cada um do seu jeito, você perguntando, sorrindo, eu brincando, você me pegando no colo porque era forte, e eu gritando: me põe no chão menino, saudades!
Talvez um dia saibamos o que te angustiava, ou do que e de quem fostes vítima, vamos crer na justiça, e que Deus te acolha com seu perdão e infinito amor.
Rogo ao poderoso Deus que dê forças a sua família, conforte seus corações e acalento as suas dores, em especial os seus pais , Maria Moura e seu Antônio Araujo, juntamente com seus irmãos, o meu querido Carlos Moura e demais. Força!
Profª Edina Fialho Machado




Postar um comentário